Um evento de Alma e Coração

Zé Pedro Cobra, Advogado, humorista e a Alma das MP's

Um evento de Alma e Coração

Zé Pedro Cobra, Advogado, humorista e a Alma das MP's

A Matiné Pensante é um evento de Alma e Coração! 

Surge da alma e procura o coração.  

Surge da alma que é a vontade sincera em querer ter portugueses a pensar Portugal para os portugueses no estrangeiro.  

Procura o coração, porque o que se pede a cada um é que partilhe com o coração; queremos ouvir e sentir as pessoas por detrás das suas histórias e feitos e não o personagem em que todos muitas vezes nos tornamos. 

A Matiné Pensante é um eco de vontades que se estende contagiosamente a todos quantos são tocados pela Portugalidade da Ana Faria e que retribuem sem perceber muitas vez a quê, para além dessa vontade sincera e genuína que se sente logo no primeiro contacto e nos faz a todos perceber que ela não Faria … Faz acontecer! 

Fui a primeira pessoa a ser contactada para este evento: a Ana ligou-me em 2012 e disse-me “Olá eu sou Ana, a Mãe de três Marias e gostava que viesses a Bruxelas falar à comunidade portuguesa!” e eu disse, no instante seguinte “Está bem!” 

 O sermos assumidamente “Tugas” – ainda hoje nos tratamos nos preparativos para os eventos por Tuga 1 e Tuga 2 – foi o primeiro de muitos passos sintónicos para que tudo isto fluísse em cumplicidade e vontade de fazer por Portugal e pelos Portugueses no estrangeiro! 

Nessa primeira e saudosa edição fui privilegiadamente acompanhado pelo Manel Forjaz e pelo Miguel Gonçalves numa tarde intimista, desafiadora, profunda, a que se seguiu um jantar de amigos, de portugueses, de pessoas e que terminou numa das melhores noites tertuliantes que já vive, neste caso numa histórica taverna medieval da Grand Place, ironicamente chamada de “Le Roy d’Espagne”, mas onde quem reinou dentro e fora foram os Portugueses! 

Tudo isto aconteceu pela vontade da Ana em nos conhecer e em nos “mostrar” à comunidade portuguesa na Bruxelas onde vive há 22 anos e à forma como todos eles se empenharam com os seus contributos individuais para as viagens e alojamentos de nós os três. Ainda hoje guardo com ternura o carinho que tiveram connosco e a disponibilidade que nos concederam num verdadeiro contributo coletivo que faz da Matiné nunca um “eu”, mas sim um “noz” – escrito com “z”, porque no final do primeiro evento distribuímos nozes para simbolizar esse coletivo que tornou tudo possível; e que ainda hoje assim o escrevemos neste núcleo. 

Depois seguiram-se saltos de gigante que só uma mulher enorme – e com uma alma ainda maior – conseguem: tivemos em 2013 uma Matiné – talvez a única no mundo – que começou às 09h30 da manhã (!) e que – sem que ninguém arredasse pé – se estendeu até perto das 20h00! 

Guardo todos com saudade e aprendi imenso com as diversas intervenções, mas trago de tudo isto a imagem do Nuno Antunes a carregar o Bento Amaral com uma alegria e fraternidade enorme, a do nosso Ruben Alves a explicar a portugalidade genuína e não nacionalista ou redutora que esteve por detrás da sua peça Dourada e a hospitalidade do nosso estimado Embaixador Fezas Vital, a receber-nos todos como amigos num jantar memorável em sua casa: Amizade sincera e alegre, Interioridade de alma e Hospitalidade, assim somos nós portugueses. 

Em 2015 sentimos a Madeira como os próprios madeirenses que ali estiveram ainda não tinham sentido e onde até as flores, a Tuna, as Ponchas e as espetadas trouxeram aroma, som, paladar, toque e visão de uma Madeira que naquela Matiné e jantar deixou de ser insular e assumiu o comando do centro da Europa! 

Com sinceridade confesso por mim – e atrevo-me a fazê-lo por quase todos, pois com eles falei e preparei os eventos – que as MPs são um projeto para o qual todos vamos sem saber bem porquê, nem para quê; mas onde todos nos realizamos,  superamos e surpreendemos, saindo sempre dali com uma fraternidade latente que fica a fazer eco; o mesmo eco que faz a força das palavras – e até mais do que isso – do sentir da Ana quando nos convoca em nome de Portugal e dos Portugueses pelo mundo! Na verdade, são assim os verdadeiros chamamentos: não sabemos causas, nem muitas vezes sentidos, mas vamos; e é nessa entrega aparentemente misteriosa e incompreensível que a vida se vive com o desprendimento que nos faz prender ao que vamos; no fundo, é assim que a vida se vive com amor e verdade! 

Tudo isto resulta também do envolvimento de eurodeputados e outros portugueses com cargos nas instituições europeias, de entidades corporativas locais, da enorme generosidade com que empresários emigrantes e nacionais se envolvem por Portugal de uma forma comovente e sempre muito reconhecida por todos – seja qual for o seu contributo, que é sempre celebrado e enaltecido com orgulho luso –, e, principalmente, tudo isto resulta de portugueses, em Bruxelas, no Luxemburgo, em Portugal, no mundo, com vontade de fazer e lembrar que “Portugal Faz Bem”. 

A todos: O meu obrigado! 

À Ana: A minha alma e o meu coração!

2018-09-22T12:01:08+00:00

Leave A Comment